terça-feira - 12 - dezembro - 17
Home / Famílias / O Cristão e a Vida Sexual
o cristao e a vida sexual

O Cristão e a Vida Sexual

O Cristão e a Vida Sexual é descrito pelo Apóstolo Paulo de forma sábia em 1 Coríntios 7:3-5.

Vejamos o que ele escreveu:

“O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.”

Paulo destaca a completa mutualidade dos direito conjugais (7.3,4). Paulo vivia em uma sociedade de profunda influência machista, mas ele quebra esses paradigmas da cultura prevalecente e afirma a igualdade dos direitos conjugais. Diz Paulo: “O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido” (7.3). O imperativo presente “conceda” indica o dever habitual. Paulo está falando do relacionamento sexual. A mesma Bíblia que condena o sexo antes do casamento, o pecado da fornicação, e também o sexo fora do casamento, o pecado do adultério, está dizendo que a ausência de sexo no casamento é pecado. O marido deve conceder à esposa o que lhe é devido e semelhantemente à esposa ao seu marido. Ambos, marido e mulher, têm direitos assegurados por Deus de desfrutarem a plenitude da satisfação sexual no contexto sacrossanto do matrimônio.

Paulo ainda prossegue: “A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu corpo, e sim a mulher” (7.4). Paulo define que o sexo é um direito do cônjuge, um direito legítimo. A satisfação sexual é um direito legítimo do marido e um direito legítimo da mulher. A chantagem sexual no casamento é um pecado. O marido não tem poder sobre o seu corpo nem a mulher tem poder sobre o seu corpo. O corpo de um pertence ao outro. Usar o sexo como uma arma para chantagear o cônjuge está em desacordo com o ensino da Palavra de Deus.

Paulo se torna ainda mais enfático, quando  escreve: “Não vos priveis um ao outro” (7.5a). A prática do sexo no casamento é uma ordem apostólica. A ausência da relação sexual no casamento é um pecado. Dentro da normalidade do casamento, a relação sexual precisa existir. E um direito sagrado do cônjuge!

Paulo afirma a capacidade dos casais se absterem temporariamente das relações sexuais (7.5b). Quando é que um casal pode se abster do sexo? Quando ambos estão em total harmonia e sintonia a respeito da decisão. O homem não pode chegar para a esposa e dizer-lhe: “Esta semana ou este mês eu não estou disponível para a relação sexual”. Nem a mulher pode comunicar ao seu marido que ela está indisponível para ele. Se há de se tomar essa decisão, os dois precisam estar em absoluto acordo. Às vezes, muitos casais cometem erros gravíssimos quando começam a dar desculpas infundadas para fugir da relação sexual, alegando cansaço, dor de cabeça e outras desculpas descabidas. A Bíblia diz que essa atitude de boicote sexual no casamento é um pecado. E uma desobediência a um mandamento bíblico.

Mas a abstinência sexual entre o casal não deve ser por um longo tempo. Paulo esclarece: “Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo…” (7.5a). Essa palavra tempo é kairós e não kronos. Um casal sábio não delimita tempo cronológico para se privar da relação, mas apenas se priva da relação por um momento específico, por uma necessidade específica, seja pessoal, seja familiar, seja na igreja, seja no seu país.

Paulo ensina que a abstinência do sexo no casamento tem de ter a intenção expressa de se dedicar à oração. Paulo pontua: “[…] para vos dedicardes à oração…” (7.5). A abstinência sexual não pode ser por qualquer motivo. Tem de ser por uma razão espiritual. Não pode ser por cansaço nem pode ser por muito trabalho. Não pode ser por dor de cabeça ou indisposição emocional. A questão é por uma razão espiritual. É interessante que Paulo não recomenda um longo período de oração nesse caso. Ele diz: “[…] e, novamente, vos ajuntardes” (7.5). Há pessoas que se escondem atrás de uma pretensa espiritualidade para sonegar ao cônjuge a satisfação sexual. Isso está em desacordo com o ensino bíblico.

Paulo diz que só pode existir abstinência no casamento quando houver o compromisso deliberado de retornar à relação sexual, quando o kairós tiver passado.  Por que Paulo é tão enfático nessa questão da relação sexual entre marido e mulher? E porque se o casal abrir brecha nessa área, Satanás vai entrar em campo com sua perversa atividade. Onde há chantagem sexual no casamento, Satanás entra em ação. Paulo conclui, dizendo: “[…]  para que Satanás não vos tente por causa da incontinência” (7.5). Quando um casal brinca com essa arma do sexo no casamento e chantageia o cônjuge, privando-o da satisfação a que tem direito, Satanás entra nessa história para colocar uma terceira pessoa na jogada e arrebentar com o casamento. Cabe aqui alertar sobre uma grande ameaça à vida sexual dos casais: a pornografia! A Palavra de Deus determina que o leito conjugal deve ser sem mácula (Hb 13.4). Há muitos homens, mesmo cristãos, que estão se tornando viciados em pornografia. São prisioneiros de um vício avassalador. Alimentam suas mentes com o lixo nauseabundo que sai dos esgotos pútridos dessa indústria pornográfica que destrói  vidas  e  arrebenta  famílias.  Há  muitos  homens que, adoecidos por esse vício degradante, ainda aviltam sua mulher querendo importar para o leito conjugal essas práticas aviltantes. Li  certa  feita  que  houve  uma  greve  dos  garis  e Nova York,  a capital mundial  do consumo.  Depois de vários dias  sem o recolhimento  do lixo,  a  cidade  ficou suja e emporcalhada. Um homem teve uma ideia para se desvencilhar do lixo da sua casa. Colocou todo o lixo dentro de uma caixa, cobriu-a com um belo papel de presente, e estrategicamente, deixou a caixa dentro do porta-malas aberto do seu carro numa ruma movimentada. Várias pessoas passavam e olhavam para a caixa com cobiça. Até que chegou um espertalhão e pegou a caixa e saiu correndo com ela, levando-a para casa. Quando abriu a caixa, ela estava cheia de lixo. Há muitas pessoas levando lixo para dentro de casa. Lixo cheira mal e deixa o ambiente desagradável. Lixo produz doenças. A Bíblia diz que o sexo é bom e prazeroso, mas também diz que ele precisa ser puro e santo!

Fonte: Sessão “Princípios de Deus para o Casamento” do Livro: Como resolver conflitos na Igreja – Hernandes Lopes

Comente essa Publicação abaixo e Aproveite e assine “Receba Nossas Publicações” na parte de cima dessa página do lado direito. Assim toda vez que houver uma nova publicação você será informado.

About Pastor Mário Luna

Check Also

Depressão sem mistérios

Depressão sem Mistérios

Depressão sem Mistérios “Tristeza profunda, preocupação excessiva, acessos de choro e sentimento de fracasso são …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com